sábado, 28 de janeiro de 2017

HOMILIA PARA O DIA 29 DE JANEIRO DE 2017

BUSQUEM O SENHOR, HUMILDES DA TERRA

Dentre as muitas interpretações sobre as constantes denúncias de corrupção e desmandos políticos que assombram a vida dos brasileiros, uma delas sustenta que esta não é uma prática nova, nem tampouco exclusiva do Brasil na atualidade. Essa vertente afirma que o problema sempre existiu, e que apenas não eram divulgados, que a liberdade de imprensa e as Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação são instrumentos facilitadores para tornar público tudo o que agora acontece. Independente desta explicação ser verdadeira, nem de longe ser a única para explicar o problema que é evidente para todos, há que se convir que o ser humano tem dentro de si uma inclinação para o mal e para o pecado, para o desejo de levar vantagem e assim por diante.
A primeira leitura deste domingo é mais uma profecia realizada cerca de 600 anos antes do nascimento de Jesus. Naqueles anos o profeta falava para um povo que era explorado por mandatários corruptos, por políticos opressores e que faziam jogo de interesses para se manter no poder e que para garantir tudo isso não tinham escrúpulos de colocar em risco o futuro da sociedade. Nota-se que entre a leitura e a situação brasileira atual há uma sintonia muito fina e fatos que se assemelham. Para este povo o profeta anuncia: Buscai o Senhor, humildes da terra, que pondes em prática seus preceitos; praticai a justiça, procurai a humildade; eles não cometerão iniquidades nem falarão mentiras; não se encontrará em sua boca uma língua enganadora; serão apascentados e repousarão, e ninguém os molestará”.
Para um povo também sofrido e desiludido São Paulo escreve na segunda leitura: “Considerai vós mesmos, irmãos, como fostes chamados por Deus. Pois entre vós não há muitos sábios de sabedoria humana nem muitos poderosos nem muitos nobres. Na verdade, Deus escolheu o que o mundo considera como estúpido, para assim confundir os sábios; Deus escolheu o que o mundo considera como fraco, para assim confundir o que é forte”.
E reafirmando a predisposição de Deus Jesus aponta um caminho que implica na participação pessoal de cada um e de todos os que desejam uma sociedade diferente daquela que estão vivendo. Jesus chama de “felizes”, não aqueles que esperam de braços cruzados a ação de Deus, mas aqueles que reconhecem a vontade de Deus e trabalham para que ela se realize. Assim são felizes: “os que tem fome e sede de justiça, os pobres em espírito, os misericordiosos, os puros de coração, os que promovem a paz e os que perseveram”.
Uma vez mais fica claro que os problemas que afetam e que diminuem a dignidade humana não é vontade de Deus, nem tampouco que ele virá resolver a seu modo, pelo contrário: O Senhor é fiel para sempre, O Senhor abre os  olhos aos cegos o Senhor faz erguer-se o caído; o Senhor ama aquele que é justo. Ele ampara a viúva e o órfão mas confunde os caminhos dos maus”.
Reunida para louvar o Senhor, a comunidade de fé pede com insistência: “Renovados pelo sacramento que celebramos, nós vos pedimos ó Deus que este alimento faça progredir na verdadeira fé”.

Um comentário:

  1. Plenamente de acordo. As Bem Aventuranças são um caminho para uma ação conjunta e solidária.

    ResponderExcluir