sábado, 8 de janeiro de 2011

ISTO É MEU CORPO, COMEI!


“Após ir a uma missa comecei a pensar a respeito da Eucaristia, pois ao ir comungar o Padre falou o seguinte:
Jesus Cristo, ao qual respondi Amém.
Na Eucaristia nós recebemos o corpo e o sangue de Jesus Cristo, o qual nós ingerimos.
Gostaria de saber se é ou não canibalismo, pois estamos comendo o Corpo e Sangue de Cristo?
Se puderem, esclareça a minha dúvida.
ass: Jhordan 12 anos”

            O comentário a cima recebi no meu blog e preferi não publicá-lo no texto em que foi postado, mas procurarei ajudar o “inquieto” Jhordan a melhor compreender a Eucaristia. Quem sabe esta dúvida seja comum a muitos na sua idade. Espero poder responder com palavras simples um tema tão complexo. A preocupação do Jhordan não deixa de ter fundamento a partir do significado da palavra canibalismo, na medida em que esta é entendida desde a raiz grega da palavra antropofagia.                                                Anthropos = Homem;  Phagein = Comer.
  No uso comum a palavra foi sendo substituída pelo termo em questão: canibalismo que significa o ato de consumir parte dos corpos dos seus amigos e parentes mortos. Todavia, na medida em que o termo antropofagia é aplicado no contexto cerimonial ou religioso ele não pode ser entendido como canibalismo. Em distintas tribos o costume de comer a carne dos seus semelhantes tem se constituído num ritual religioso de prestar culto, respeito e desejo de adquirir as características da pessoa cuja carne serve de alimento.
             Pois é neste sentido que convido o Jhordan e a todos quantos se inquietam com a pergunta feita por ele  a me acompanhar nesta breve reflexão. Vamos lá!
             Comer o corpo de Cristo pode ser considerado canibalismo?
Antes de tudo canibalismo consiste em devorar com ferocidade o semelhante que se encontra indefeso ou morto. Não é este o caso que se dá em relação ao Corpo de Cristo, pelo contrário ele mesmo se dá em comida e bebida e se dá livremente. Ele mesmo declarou: “Ninguém tira a minha vida eu a dou livremente”.
A segunda verdade a ser compreendida em relação à Eucaristia consiste em compreendê-la no contexto da memória do sacrifício oferecido por Cristo ao Pai. Na celebração da Eucaristia não se faz um novo sacrifício do Filho de Deus, cujo corpo ser recebe em comunhão. A Missa é uma celebração memorial, que não é também uma simples lembrança, trata-se de viver na plenitude todo o significado de oferenda feita por Jesus do seu corpo e sangue, mas, sobretudo, da sua vida inteira ao Pai por causa da humanidade.
Terceiro, o corpo de Cristo que se comunga não pode ser reduzido à dimensão física, por isso mesmo parece muito sugestivo que na hora da comunhão o ministro que lhe entregou a Eucaristia tenha lhe apresentado o pão consagrado e lhe feito, quase em forma de pergunta: Isto é Jesus Cristo, você aceita? E você respondeu Amém, cuja palavra significa, “é isso mesmo, eu aceito”.
De modo que na comunhão o que se recebe não é o corpo de Cristo no seu sentido estritamente carnal, mas o Corpo de Cristo na sua totalidade, isso é, na sua dimensão humana, mas também divina, transcendental, que vai muito além da sua condição física.
Comer o Corpo de Cristo, de modo nenhum se constitui uma atitude antropofágica, canibal. Muito pelo contrário, é possível dizer que a comunidade cristã se alimenta do Corpo de Cristo para lhe prestar uma homenagem em relação ao que Ele fez pela humanidade, é ao mesmo tempo uma disposição para fazer o que ele mesmo fez: “Se Eu, o mestre e Senhor, lavei os seus pés, vocês devem fazer a mesma coisa que eu fiz”. Ou seja, receber o Corpo de Cristo é colocar-se a serviço de todos em vista de um mundo melhor e mais fraterno.
           Neste sentido longe de ser uma atitude feroz e violenta, comungar Jesus Cristo é um gesto de ternura o qual matem uma íntima relação com toda a razão de ser da Igreja, isto é, Vocação para o serviço.
          Caro Jhordan espero ter sido claro e ajudado a compreender melhor a Missa que você participa e a Eucaristia que lhe serve de alimento, a fim de ser sempre melhor e mais fiel discípulo de Jesus a serviço da vida e da esperança.

3 comentários:

  1. professor... qual a diferença entre a eucaristia e a ceia dos evangélicos?

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde!
    Sua pergunta é bastante genérica e um pouco difícil de responder com mais precisão.
    Antes de tudo será preciso reconhecer os distintos grupos que se chamam "evangélicos".
    Vou tentar fazer uma distinção que embora não sendo a mais exata é bastante aceita.
    Os Evangélicos são normalmente identificados como:
    1) Protestantes históricos
    2) Evangélicos
    3) Evangélicos pentecostais
    4) Novos movimentos religiosos.

    Sei com certeza que os protestantes históricos tem a prática da "Ceia", também chamada de Santa Ceia, a qual segundo a doutrinha de cada Igreja tem a mesma conotação que tem a Eucaristia para os Católicos. Óbvio que entre os católicos e os protestantes históricos há uma compreensão diferente do que se chama presença Real de Jesus, mas que não vem ao caso na sua pergunta.
    Espero ter me expressado a conteto, ou seja para os protestantes históricos participar da "Santa Ceia" tem o mesmo valor e significado que para um católico participar da Eucaristia.
    As demais denominações eu não conheço a doutrina sobre a prática da ceia nas distintas igrejas.
    Abraço
    Padre Elcio
    3

    ResponderExcluir
  3. Bacana o comentário elaborado.

    ResponderExcluir